O NOVO MUNDO EXIGE RESILIÊNCIA

Escrito por
Avalie este item
(2 votos)

No girar do novo ciclo (o momento em que estamos vivendo), estamos provando literalmente a queda da zona de conforto. O sofá e a cama deixaram de ser um local agradável, pois não é mais algo a ser procurado no final do dia para que estreitássemos mais ainda a desobrigação do nada a fazer em nosso favor e quiçá do próximo. Na velocidade da Luz, a nossa vida virou de cabeça para baixo, fazendo com que colocássemos nossas rotinas no lixo. Sem preparo algum encaramos um novo sem saber se realmente era mesmo uma novidade. Verdadeiramente um sentimento de loucura aos nossos olhos que nos posicionou em uma teia confusa e mais emaranhada do que estávamos. Porque? Porque nos arrastamos o tempo todo na espera do futuro, e agora querendo ou não estamos de volta ao passado de nós mesmos. Uns pela ânsia ao poder, atiraram no que viram e acertaram no que estavam a ser observados, outros que viviam literalmente em teorias foram chamados a praticarem o que aprenderam e outros que nada faziam, caíram na rede perfeita do desespero e enlouqueceram... Enfim, nada mais que faces reveladas no âmbito de suas próprias regenerações. Tudo por um único vírus, uma única poeira cósmica plasmada em nossa esfera, deixando o seu recado - "Chegou a hora do basta"! Mas será que tudo isso é negativo como pregam aí fora? É vingança do Sagrado? É obra do demônio? É o fim do Mundo? Doce inocência se ainda estamos sendo guiados por estes pensamentos - tudo está no crivo do Sagrado! 

Estamos sendo preparados para nos adaptar ao Novo Mundo em que já estamos vivendo. O momento exige de todos a sabedoria, a inteligencia, ou seja: as verdades ocultas. Temos milhões de anos em nossas histórias, milhões de exemplos que deixamos nos infinitos livros nas prateleiras de todos os territórios, onde neles estão as descrições do início, meio e fim de nossas crenças e culturas. Tudo muito bem explicado dentro da visão de cada evolução para que fossemos capazes de chegarmos nesse momento e não cometêssemos as mesmas falhas. Será que estamos fazendo a contento? Não, não estamos porque ainda estamos achando que amanhã tudo voltará ao normal. Não voltará, não somos mais os mesmos, nem fisicamente e muito menos espiritualmente. Mudamos sim, apesar de muitos nem sequer terem sentido. Entre lágrimas, medo, solidão, desamparo, ira, intolerância... a semente foi plantada. Para uns são apenas 3 meses, mas eu digo que são 200 anos que estamos percorrendo ao caminho desse novo ciclo. Por ele carregamos fardos e fardos, que a cada vivência retornada esvaziávamos um pouco até que chegou o momento de virarmos o saco do avesso para despejarmos aquele grão escondido que que foi colocado no início e que tanto aprisionou nossas ascensões.

O QUE FAZER PARA COMEÇAR A CAMINHAR?
Devemos achar um modo de nos adaptarmos com a ação expressa do Poder da Evolução - a única saída é a SUPERAÇÃO! Onde ela se encontra? Na sabedoria contida que pouco foi praticada.

Por sermos tendenciosos, impulsivos e adorarmos a zona de conforto... Ao virarmos o saco do avesso, perdemos o chão e consequentemente nos enterramos em um breu sem norte algum - nada mais que a prova a nossa razão utópica de que: não somos nada sem o Poder da Luz, ou seja, do Sagrado. E como voltar a enxergar a Luz? Aos que morreram e ainda estão partindo, as enxergam rapidamente, pois que a treva está na mente humana. Nós temos aqui várias plataformas de recolhimentos e encaminhamentos - inferno é o que fazemos de nossas vidas materializadas. Aos que permanecerão, a dica a abrandar o caos é a aceitação, e o antidoto é a RESILIÊNCIA. 

Indiferente do retorno ao convívio social, do fim das contaminações, nós não somos mais os mesmos. Muito foi mudado embora nem percebamos, muita coisa está girando ao nosso redor dentro dos Quatro Elementos da Natureza e todas as suas correspondências e nós... não estamos fora deste contexto. Quando as portas se abrirem para que possamos sair livremente a caminharmos nas ruas, nas lojas, nos bares... Encontraremos um mundo confuso, inseguro e a palavra será latente aos nossos ouvidos - "esquisito". Se não tivermos equilíbrio para esse reencontro ao novo, outra poeira cósmica se instalará em nossa amada Terra e do pouco que nos resta, será certeira no apresentar o furor da Natureza se levantando e nos colocando frente a frente com forças incisivas. É isso que queremos para o nosso glorioso futuro que tanto sonhamos?

Resiliência para mim é definida como o nível de resistência que se pode ter antes que as emoções negativas assumam o controle. A resiliência é o aceitar a provocação em vez de reagir a ela, ou de tolerar circunstâncias difíceis ou comportamentos inadequados sem se desequilibrar. O comando agora é praticar o poder da palavra compaixão e amor - semente está que não tem nada de novo, está aí dentro de nosso secreto, devemos buscá-la para praticá-la.

PARAR DE JULGAR
A maioria das pessoas que fazem algo que achamos irritante, alarmante, injusto ou irresponsável tem suas razões. Somos bons sim, tentamos fazer a coisa certa como a entendemos. Então vamos parar de julgar. A maioria de nós não tem ideia da vida do próximo, nem do que o levou a fazer o que está fazendo. Se alguém está fazendo algo claramente ilegal, então que denunciemos e sigamos em frente. saiba que em muitas vezes, julgamos o próximo porque estamos nos julgando internamente . A maior parte do que projetamos sobre os outros vem de uma insatisfação conosco mesmo. Portanto, é mais fácil parar de julgar os outros se queremos parar de se julgar também. A dica é trazer para o agora o valor da palavra limite!

RECONHECER O QUE O PRÓXIMO TEM A OFERECER
Se estamos ficando impaciente com alguém porque não concordamos com o que eles disseram ou o que estão fazendo, perguntemos a nós mesmo se poderíamos ser beneficiados ao ver as coisas através dos olhos deles. Ao entender a maneira como que o próximo enxerga a vida ou as razões para se comporta de maneira que não somos, podemos obter outra perspectiva que poderá ser valiosa para nós. Todo mundo tem algo a oferecer, mesmo que seja apenas uma pausa para reflexão.

DESACELERAR
O momento é para desacelerar para que percebamos e apreciemos as pequenas coisas que anteriormente não sentíamos - a simplicidade do mundo natural. Ao desacelerar conscientemente, acumulamos reservas de resiliência. A atenção plena ajuda a fortalecer e impulsionar a atitude no que é correto. Abre a visão e amplia a sensibilidade ao campo magnético que por sua vez nos dá segurança a parar ou avançar, evitando conflitos ao nosso convívio.

OBSERVAR
Cuidar dos pensamentos, caso contrário, antes que percebamos, estaremos com raiva, intolerância, grosseria, crueldade, mau humor ou qualquer outra emoção longe do equilíbrio. Então a lógica é vigiar nossos pensamentos. Devemos aprender a reconhecer as fontes de nossos pensamentos que muitas vezes estão sendo manipulados por campos magnéticos que não nos  pertence.

QUESTIONAR A SI MESMO
Ao reconhecer que estamos ficando impacientes, devemos ir ao encontro do gatilho que impulsionou a mudança do comportamento. O que realmente está me deixando impaciente? Será que realmente estou com a razão ou será que estou sendo manipulado pela minha zona de conforto? Reconhecer nossas raízes verdadeiras é o caminho, elas darão a percepção da real postura, tipo: isso não sou eu, é algo além de mim me impulsionando a fazer algo que foge de minha ética. Devemos explorar nossas motivações! Claro, estamos chateados porque estamos atrasados ou porque alguém está violando as regras de distanciamento social, mas o que exatamente está pressionando o gatilho? Quase nunca é a nossa própria ação; quase sempre há uma razão mais profunda, se quisermos pensar sobre isso. Depois de identificarmos o verdadeiro motivo, iremos gerar a recuperação de nossa resiliência. Basta dizer a si mesmo: "Estou me sentindo vulnerável porque "..."

Não é por causa do comportamento de outros que somos obrigados a cair no desequilíbrio. É na prática do exercitar o diálogo interno que conseguimos girar ao contrário e o efeito, tenha certeza que será instantâneo no recondicionamento da paz.

LEMBRE-SE
Que na pressa de provarmos que somos mais que o próximo, impulsionamos a corrida ao julgamento onde a decência, a paciência, a bondade e a compreensão são esquecidas. Assim como você, todos nós temos dificuldades, mas essa dificuldade nunca será resolvida apontando o dedo para o próximo - podemos reduzir essa intolerância, se cultivarmos um pouco mais de resiliência. Precisamos de outros recursos emocionais, além dessa força, mas a princípio é ela que nos levará a uma melhor empatia, melhor entendimento de si e do próximo - então eu acho que é um bom lugar para começarmos a caminhar, não? 

Bênçãos Plenas
Assinatura

Simone Gomes Pedrolli

Toda a “Vida” procede da Luz, e a Luz se origina da consciência.
Desejo que as sementes aqui lançadas sejam o semear de um novo jardim colorido e UNO!
Bençãos Plenas

×

TOP